CASTRAR OU NÃO CASTRAR: Eis a questão

Essa é uma dúvida muito freqüente entre os donos de cães e gatos. A castração é um procedimento cirúrgico e é bastante diferente entre fêmeas e machos.

A castração do macho, conhecida como orquiectomia, é a remoção dos testículos impedindo, desta forma, que o animal reproduza. É uma cirurgia pouco invasiva e rápida, com um pós-operatório geralmente sem grandes problemas. A castração da fêmea, conhecida como ovariohisterectomia, é a remoção dos ovários, cornos e corpo uterino. É uma cirurgia mais invasiva e demorada, com abertura da cavidade abdominal, sendo necessário maiores cuidados no pós-operatório.

procedimento castração

Quais os principais benefícios da castração? Nos machos temos a redução da marcação de território (marcação de urina), diminuição de comportamentos sexuais indesejados, da agressividade e da hiperatividade. Nas fêmeas temos a redução expressiva da probabilidade de desenvolvimento de tumor de mama (quando a castração é realizada até o 3º cio em cadelas), prevenção da piometra (grave infecção uterina) e ausência do incômodo do cio, tais como sangramento, comportamento sexual indesejado, repetição do cio (em gatas). A castração é também uma forma eficaz de controle populacional de cães e gatos.

Quais os contras da castração? O principal fator negativo é que o animal castrado não poderá gerar descendentes, visto que é um procedimento irreversível. Além disso, os animais castrados, principalmente as fêmeas, tendem a engordar já que apresentam uma queda do metabolismo. Como é um procedimento cirúrgico, realizado sob anestesia geral, apresenta riscos inerentes a tais procedimentos, os quais podem ser bem minimizados mediante a realização de um risco cirúrgico, uso de anestesia inalatória e um pós-cirúrgico adequado.

A decisão de castrar ou não é sempre do proprietário e este deve sempre pesar os prós e os contras na hora de tomar esta decisão. Uma conversa com o médico veterinário pode ajudar bastante nesta questão.